quarta-feira, 31 de agosto de 2011

"Os momentos de crise suscitam um redobrar de vida nos homens." [ François René ]





Economize com Telefone Fixo!

Fale à Vontade em Ligações Locais e Interurbanas Nacionais

Quero meu Livre Embratel!
Veja abaixo as vantagens exclusicas do Livre Embratel
Vantagens Livre Embratel.

Fale à vontade por R$ 39,90 - Ligações Locais e interurbanas para fixo sem limites - Secretária eletrônica - Chamada em espera - Consulta de saldo

Você não paga assinatura e ainda liga de Fixo para Celular com as Tarifas mais baratas do Brasil. Contrate o Plano Fale á Vontade e reduza ao mínimo sua conta mensal de telefone fixo.

Uma amiga minha postou isso ha algumas semanas, gente e pura verdade!



Esta é uma historinha de terror que se repete ano após ano, por séculos.

 Relações vampirescas: o morcegão surge com uma carinha de fome e cansaço,

 como se não tivesse dormido a noite toda, e você se oferece para uma conversa, 

um abraço, uma força...Aí ele se revitaliza e bate as asinhas !

Até que começam a sugar você, sugam todinho o seu amor, sua confiança, sua

 tolerância, sua fé, seu tempo, suas ilusões. Vampiros deixam você murchinha,

 chupam até a última gota. Um belo dia você descobre que nunca recebeu nada

 em troca, que amou pelos dois, que foi sempre um ombro amigo, que sempre

 esteve à disposição, e sofreu tão solitariamente que hoje se encontra aí, mais 

carniça do que carne.


Vampiros tratam você muito bem, têm muita cultura, presença de espírito e

 conhecimento da vida. Você fica certo que conheceu uma pessoa especial.

 Custa a se dar conta de que eles são vampiros, parecem gente.


125º aniversário de Tarsila do Amaral


“Adoro a vida e sou fã dela, vou com ela até os 100″

Tarsila do Amaral – 1886 – 1973

Saber com exatidão a data de nascimento de Tarsila não foi uma tarefa fácil, pois durante toda a sua vida – ela simplesmente escondeu sua idade e todas as referências que nos permitissem identificar o momento de seu despertar para o mundo. Informação essa que foi revelada por uma carta escrita por sua mãe, datada do dia 1º de setembro de 1927 que dizia:
“Neste glorioso dia em que nasceu a maior pintora brasileira, de uma criatura tão humilde como eu, rendo graças ao nosso bom Deus por ter-se dignado encher-te de seus dons, fazendo de ti uma verdadeira maravilha em beleza física e moral, em inteligência inigualável, pois que Deus cumulou-te de perfeições, não se esquecendo de fazer-te a melhor das filhas, eu te abençoo, eu e teu pai, neste dia em que nasceste. Abraço-te e beijo-te com todo o amor maternal. Sua mãe Lydia”. 


Chapeu AzulChapéu Azul - Esta tela foi realizada depois de Tarsila frequentar o ateliê de Emile Renard. As telas dessa época possuem uma grande suavidade e uma atmosfera lírica.
Auto-retratoAuto-retrato ou Manteau Rouge - Em Paris, Tarsila foi a um jantar em homenagem a Santos Dumont com esta maravilhosa capa (Manteau Rouge, em francês, significa casaco, manto vermelho). Além de linda, usava roupas muito elegantes e exóticas, e sua presença era marcante em todos os lugares que freqüentava. Depois desse jantar, pintou este maravilhoso auto-retrato.
A NegraA Negra - Esta tela foi pintada por Tarsila em Paris, enquanto tomava aulas com Fernand Léger. A tela o impressionou tanto que ele a mostrou para todos os seus alunos, dizendo que se tratava de um trabalho excepcional. Em A Negra temos elementos cubistas no fundo da tela e ela também é considerada antecessora da Antropofagia na pintura de Tarsila. Essa negra de seios grandes, fez parte da infância de Tarsila, pois seu pai era um grande fazendeiro, e as negras, geralmente filhas de escravos, eram as amas-secas, espécies de babás que cuidavam das crianças.
EFCBEFCB (Estação de Ferro Central do Brasil) - Este quadro foi pintado depois da viagem a Minas Gerais com o grupo modernista. Foi então que Tarsila começou a pintura intitulada Pau-Brasil, com temas e cores bem brasileiros. Esta tela foi pintada para participar da exposição-conferência sobre modernismo do poeta Blaise Cendrars realizada em São Paulo, em junho de 1924.
Carnaval em MadureiraCarnaval em Madureira - Tarsila veio de Paris e passou o carnaval de 1924 no Rio de Janeiro. É curioso ver que ela colocou a famosa Torre Eiffel no meio da favela carioca.
A CucaA Cuca - Tarsila pintou este quadro no começo de 1924 e escreveu à sua filha dizendo que estava fazendo uns quadros "bem brasileiros", e a descreveu como "um bicho esquisito, no meio do mato, com um sapo, um tatu, e outro bicho inventado". Este quadro é também considerado um prenúncio da Antropofagia na obra de Tarsila e foi doado por ela ao Museu de Grenoble na França.
O PescadorO Pescador - Este quadro tem um colorido excepcional e trata de um tema bem brasileiro: um pescador num lago em meio a uma pequena vila com casinhas e vegetação típica. Este quadro foi exposto em Moscou, na Rússia em 1931 e foi comprado pelo governo russo.

Religião BrasileiraReligião Brasileira - Certa vez Tarsila chegou de viagem da Europa, desembarcou no porto de Santos e foi comprar doces caseiros em uma casinha bem simples de pescadores. Ao entrar observou um pequeno altar com vários santinhos, enfeitados por vasinhos e flores de papel crepom. Achou aquilo tão pitoresco e pintou esta maravilhosa tela.
ManacáManacá - Linda tela, com um colorido forte. Esta flor é representada por Tarsila de uma maneira particular, bem típica da obra dela.
AbaporuAbaporu - Este é o quadro mais importante já produzido no Brasil. Tarsila pintou um quadro para dar de presente para o escritor Oswald de Andrade, seu marido na época. Quando viu a tela, assustou-se e chamou seu amigo, o também escritor Raul Bopp. Ficaram olhando aquela figura estranha e acharam que ela representava algo de excepcional. Tarsila lembrou-se então de seu dicionário tupi-guarani e batizaram o quadro como Abaporu (o homem que come). Foi aí que Oswald escreveu o Manifesto Antropófago e criaram o Movimento Antropofágico, com a intenção de "deglutir" a cultura européia e transformá-la em algo bem brasileiro. Este Movimento, apesar de radical, foi muito importante para a arte brasileira e significou uma síntese do Movimento Modernista brasileiro, que queria modernizar a nossa cultura, mas de um modo bem brasileiro. O "Abaporu" foi a tela mais cara vendida até hoje no Brasil, alcançando o valor de US$1.500.000. Foi comprada pelo colecionador argentino Eduardo Costantini.
O LagoO Lago - Maravilhosa tela da fase Antropofágica, com o colorido e o tema tão típicos de Tarsila. Seu sobrinho Sérgio comprou a tela e permaneceu com ela por muitos anos.
O Ovo ou UrutuO Ovo ou Urutu - Nesta tela temos símbolos muito importantes da Antropofagia. A cobra grande é um bicho que assusta e tem um poder de "deglutição". A partir daí, o ovo é uma gênese, o nascimento de algo novo e esta era a proposta da Antropofagia. Esta tela pertence ao importante acervo de Gilberto Chateaubriand e está sempre sendo exibida em grandes exposições.
A LuaA Lua - Este quadro era o preferido de Oswald de Andrade, seu marido quando pintou a tela. Ele conservou o quadro até sua morte (mesmo já separado de Tarsila).
Cartão PostalCartão Postal - Vemos a lindíssima cidade do Rio de Janeiro nesta tela, que é o maior Cartão Postal do Brasil. O macaco é um bicho Antropofágico de Tarsila que compõe a tela.
AntropofagiaAntropofagia - Nesta tela temos a junção do "Abaporu" com "A Negra". Este aparece invertido em relação ao quadro original. Trata-se de uma das telas mais significativas de Tarsila e o colecionador Eduardo Costantini, dono do "Abaporu", está muito interessado no quadro e já ofereceu uma soma muito alta por ele (que foi recusada pelos atuais donos).



quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Tendemos a ver cada problema como se ele fosse uma luta entre dois lados. Vemos isso nas manchetes que estão sempre usando metáforas para a guerra. É uma atmosfera geral de hostilidade e disputa que tomou conta do nosso discurso público." [ Deborah Tannen ]


Film Festival of Miami

Este ano o Festival de Cinema Brasileiro de Miami comemora o seu 15o Aniversário, e para celebrar este marco, foi organizada uma programação especial para o evento deste ano que comecou desde o dia 19/08 e ira ate o dia 27/08.

O Festival,  parte do calendário oficial de eventos das cidades de Miami e Miami Beach.

O Screenings Competitivo esta sendo realizado mais uma vez no teatre Colone  e apresentará filmes que competem pelo Prêmio "Lente Cristal", ( prêmio  de maior prestígio no cinema brasileiro fora do país).  

A Noite Final terá o anúncio do vencedor do Prêmio  Lente Cristal , pelo jornalista Arnaldo Jabor.
O Festival,  parte do calendário oficial de eventos das cidades de Miami e  Miami Beach, e, é reconhecido pela ANCINE, pelo Ministério de Cultura,  Secretaria Audiovisual e governos locais como um negócio eficaz na plataforma da comunicação entre companhias e profissionais do setor audiovisual.

Vale a pena conferir! 

O cinema brasileiro cresce a cada dia , em meio as criticas quando comparado a obras cinematograficas no mercado internacional.
Vale lembrar que o mercado americano investe 999% a mais em obras cinematograficas do que o Brasil, entao devemos parabenizar o governo Federal que atraves do Ministerio da Cultura tem dado suporte a eventos como este. Alem da Petrobras, Inffinito, Ancine, BNDES e demais instituicoes.

Entrevista com o homenageado deste ano Arnaldo Jabor.




Entrevista Fernando Meirelles 2º Brazilian Film Festival deLondon

(entrevista interessantissima)








-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Jose Serra; Jose Serra Endereco eletronico

Como foi noticiado, o deputado Henrique Fontana, líder do governo na Câmara, apresentou um projeto de lei que lida, entre outras coisas, com o sistema eleitoral brasileiro. Farei em seguida alguns comentários, sem pretender abordar todos os tópicos.
Em termos de financiamento de campanha, Fontana propõe a criação de um Fundo de Financiamento das Campanhas Eleitorais (FFCE), a ser constituído por recursos do orçamento da União e por doações de pessoas físicas e jurídicas. O Fundo seria a única fonte admitida para financiamento de campanhas, ficando vedadas doações diretas de pessoas e empresas a candidatos. Apenas doações ao Fundo podem ser feitas, sem especificar o seu destino final. A distribuição do recurso do Fundo entre os partidos, cargos e circunscrições se dá conforme critérios de proporcionalidade previstos na lei (exemplo no caso de eleições presidenciais: 80% de acordo com proporção de votos obtidos pelo partido na eleição para a Câmara na eleição anterior, 15% igualmente entre os partidos com representantes na Câmara, 5% igualmente entre todos os partidos).
O projeto, é importante ressaltar, concentra totalmente nas direções partidárias o poder de decisão sobre alocação de recursos recebidos do Fundo para cada circunscrição. Ou seja, como o candidato estará, ele mesmo, impedido de captar recursos para sua campanha, a direção do partido terá em suas mãos, na prática, o poder de decidir quem se elegerá ou não — afinal, o partido decidirá não apenas a sua posição na lista partidária como o volume de recursos de que cada candidato poderá dispor. Diga-se que prever doações do setor privado a um fundo de campanha, sem qualquer direcionamento partidário ou a candidatos, chega a ser delirante.
Acrescente-se que o projeto tem um enorme viés pró-PT e PMDB, pois os recursos do Fundo, sejam eles orçamentários ou de doações, serão destinados em maior volume a ambos, como partidos (atualmente) mais votados nas proporcionais — nessa condição, terão enorme vantagem de partida. Além de casuística, essa é uma medida antidemocrática, pois as preferências dos eleitores podem mudar muito em quatro anos, e isso não estará refletido nos recursos disponíveis para cada partido na eleição, um evidente déficit de “accountability” do sistema.
Em relação às eleições proporcionais, Fontana prevê que o eleitor vote duas vezes. No primeiro voto, de legenda, o eleitor escolhe a lista preordenada do partido de sua preferência. No segundo, vota diretamente no candidato, sem vinculação obrigatória com a legenda escolhida no primeiro. Ou seja, pode votar no PSOL e num candidato, digamos, do PR!  Numa nice.
O quociente eleitoral será calculado somando-se os votos na lista do partido com os votos nominais dos seus candidatos. O preenchimento das vagas se dará de forma alternada, da seguinte maneira: a primeira vaga do partido será preenchida pelo candidato com mais votos nominais; a segunda, pelo primeiro nome da lista preordenada; a terceira, pelo segundo candidato com mais votos nominais; a quarta, pelo segundo nome da lista… E assim por diante. No caso do próximo candidato da lista preordenada já ter sido contemplado com vaga pelo critério nominal, passa-se ao próximo da lista (e vice-versa).
Há ainda a exigência de que a lista preordenada tenha pelo menos um terço de suas vagas ocupadas por mulheres, de forma alternada, ou seja, a cada três posições da lista, pelo menos uma deve ser ocupada por uma mulher.
Fica claro que, se o eleitor já entende pouco o sistema atual, não há a menor chance de que ele compreenda este novo critério. Por conta das vagas reservadas à lista, o número de candidatos bem votados que não se elegerão aumentará nesse sistema em relação ao atual, o que certamente gerará grande consternação ao eleitor, que hoje já tem dificuldade de entender o critério do quociente eleitoral. Que dizer então da possibilidade de se votar na legenda de um partido e no candidato de outro? Ao invés de favorecer o comportamento racional do eleitor, esse sistema só aumenta a confusão.
As supostas vantagens do sistema de lista fechada — simplicidade para  o eleitor, barateamento das campanhas, debate “programático” entre partidos — não podem nem remotamente ser atribuídas a esse verdadeiro samba-do-petista-doido. Afinal, o sistema proposto pelo relator é muito mais complexo e opaco do que o atual e não altera em nada o custo das campanhas. Aos defeitos do sistema que hoje prevalece , ele apenas acrescenta outros, em especial: falta de transparência para o eleitor; estímulo à incoerência do voto; controle absoluto das máquinas partidárias sobre as chances de sucesso dos candidatos.