segunda-feira, 7 de maio de 2012

É quase isso aí mesmo!


Malandragem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Junto ao jeitinho, a malandragem pode ser considerado outro modo de navegação social
 tipicamente (mas não unicamente) brasileiro; porém, diferente do jeitinho,
 neste a integridade de instituições e de indivíduos  é efetivamente lesada, e de forma 
juridicamente definível como dolosa. No entanto, a malandragem bem-sucedida
 pressupõe que se obtenham vantagens sem que sua ação se faça perceber.
 Em termos mais populares, o "malandro" "engana" o "otário" (vítima) sem que este
 perceba ter sido enganado.
A malandragem é descrita no imaginário popular brasileiro como uma ferramenta de
 justiça individual. 
Perante a força das instituições necessariamente opressoras, o indivíduo "malandro" 
sobrevive manipulando pessoas, enganando autoridades e driblando leis, de forma a 
garantir seu prejudicado bem-estar (vide obra "Carnavais, Malandros e Heróis",
 de Roberto Damatta). Dessa forma, o "malandro"
 é o típico herói brasileiro. Exemplos da literatura incluem Pedro Malasarte e João Grilo.
Tal como o jeitinho, a malandragem é um recurso de esperteza, utilizado por indivíduos
 de pouca influência social, ou socialmente desfavorecidos. Isso não impede a 
malandragem de ser igualmente utilizada por indivíduos mais bem posicionados 
socialmente. Através da malandragem, obtêm-se vantagens ilícitas em jogos de azar
, nos negócios e na vida social em sua totalidade. Pode-se considerar "malandro" o
 adúltero que convence a mulher de sua falsa fidelidade;
 o patrão que "dá um jeito" de não pagar os funcionários tal como deveria; o "jogador" 
que manipula as cartas e leva para si toda uma rodada de apostas.


Malandragem
 define-se como um conjunto de artimanhas utilizadas para se obter
 vantagem em determinada situação (vantagens estas muitas vezes ilícitas).
Caracteriza-se pela engenhosidade e sutileza. Sua execução exige destreza,
carisma, lábia e quaisquer características que permitam a manipulação de pessoas
 ou resultados, de forma a obter o melhor destes, e da maneira mais fácil possível.
Contradiz a argumentação lógica, o labor e a honestidade, pois a malandragem
 pressupõe que tais métodos são incapazes de gerar bons resultados.
 Aquele que pratica a malandragem (o "malandro") age como no popular adágio
brasileiro, imortalizado pelo nome de
 Lei do Gerson: "gosto de levar vantagem em tudo"

Marginalização

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

(relegar ou confinar a uma condição social inferior, à beira ou à margem da sociedade).

Em sociologiamarginalização é o processo social de se tornar ou ser tornado marginal
 Ser marginalizado significa estar separado do resto da sociedade, forçado a ocupar as beiras
 ou as margens e a não estar no centro das coisas. Pessoas marginalizadas não são
 consideradas parte da sociedade.

Marginalização social é a discriminação que ocorre a maioria da sociedade pobre ou com 

deficiência. A marginalização social é uma questão ambígua, inerente a controvérsias,

 assumindo significados diferentes. A marginalização social é um fenômeno que designa a 

exclusão de grupos sociais, fazendo com que estes não pertençam à sociedade vigente.


Marginalização social

[editar]Pobreza

São vários os fatores que causam a marginalização na sociedade, dentre esses sem dúvida
a pobreza é o principal. Pois pela insuficiência orçamentária o individuo entra para a
 marginalização cultural e social, porque fica sem acesso à saúdealimentação,
 moradia e educação. Isso é bastante evidente nas grandes cidades, em que muitas pessoas
 vivem à margem do contexto social sem desfrutar das oportunidades e privilégios.
 Esses indivíduos acabam vivendo alienados da sociedade.
A pobreza causa também exclusão social em que o individuo tem dificuldades ou problemas
 sociais levando-o até a discriminação de um determinado grupo da sociedade.

[editar]Fenômeno migratório

Outro fator que contribui para a marginalização social é o fenômeno migratório.
 As pessoas da zona rural que tem muita dificuldade de sobreviver na roça, pela falta de
 emprego, pela escassez de água, enfim pela vida dura no campo, alimentam a idéia de que 
nas grandes cidades vão melhorarem de vida. Imaginam que lá é tudo mais fácil. 
Saem então da sua terra, muitos vendem o terreno que possuem e vão em busca de uma vida
 melhor. E como a vida que tinham no campo não proporcionou a eles oportunidades de estudar
. Com o avanço da tecnologia eles têm dificuldades de encontrarem emprego,
 pois necessitam de mão de obra qualificada como não possuem estudo não conseguem
emprego. 
Muitos aceitam qualquer tipo de emprego para garantir sua subsistência.
E com freqüência até as crianças são impelidas a irem à busca de seu sustento, adquirindo
 assim o subemprego, o que contribui para o orçamento  da família.
 É muito grande a quantidade de meninos de rua que encontramos pelas cidades e varias
 dessas são dessas famílias de emigrantes. 
Alguns conseguem se manter e com dificuldades se estabilizam, mas uma grande
 parte dessas pessoas acabam sendo alvos a marginalização social.
Alguns para se manterem começam a entrar na vida do crime. 
Pelas péssimas condições de vida, moradia, saneamento básico, alimentação etc.
 Essa população tem maior incidência de doenças, deficiência física e mental.
Há exemplos deste fenômeno até na literatura brasileira.
 Por exemplo, podemos citar uma família que são personagens de Graciliano Ramos 
do livro Vidas Secas (1938), que conta a historia de uma família nordestina, composta por
Fabiano, Sinhá Vitoria, filho mais novo e filho mais velho e a cachorra Baleia. 
A cidade está passando por uma terrível seca, eles saem em busca de uma vida melhor,
 na verdade eles saíram para se livrarem da morte, que era iminente.

[editar]Deficiência

deficiência é também um fator que causa a marginalização.
 O preconceito com os deficientes é muito grande, o que causa exclusão social.
 A palavra deficiente tem um sentido pejorativo em nosso mundo.
 Muitas vezes é chamado de anomalia ou insuficiência. Pode ser a falta de um órgão ou
ausência de uma função fisiológica, uma deficiência pode ser até um sinal de marginalização.
 Mas a palavra deficiente não é negativa.
 Ela determina uma realidade humana. Pela realidade da sociedade tecnológica que vivemos
 que é observada pela
 perfeição, a deficiência é interpretada como sinal de perdas de qualidade de produção.
 Os deficientes são marginalizados pelo sistema produtivo, pois são considerados improdutivos.
 A deficiência não é uma doença, mas um preconceito.











04/Maio/2012 - STF confirma legalidade do ProUni;




STF confirma legalidade do ProUni
A validade do Programa Universidade para Todos (ProUni), que incentiva o ingresso de alunos de baixa renda no ensino superior, foi confirmada na última quinta-feira, 3,  pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Por um placar de 7 votos a 1, os ministros entenderam, no julgamento de ações de inconstitucionalidade, que o programa foi necessário para otimizar as oportunidades de estudo e que, além disso, vem obtendo bons resultados.
O Prouni foi questionado no STF ainda em 2004, logo depois da edição da medida provisória que criou o programa. As ações de inconstitucionalidade foram assinadas pela Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenem), pelo DEM e pela Federação Nacional dos Auditores Fiscais da Previdência Social (Fenafisp). Em janeiro de 2005, a medida provisória foi transformada em lei.


Para o grupo contrário ao Prouni, o programa tem ilegalidades técnicas – como o tratamento
 inicial do assunto por meio de medida provisória e a alteração indevida no regime tributário –
 e conceituais, pois as entidades defendem que a concessão de bolsas seguindo critérios
sociais e raciais vai contra o princípio da igualdade entre os cidadãos. 


Para o deputado federal Rubens Otoni (PT), autor de um dos projetos de lei que deu origem
 ao ProUni, o programa ajuda a corrigir uma injustiça histórica que vigorou por muito tempo no
 Brasil."Jovens de famílias mais humildes e que antes do ProUni não tinham perspectivas de
 cursar o ensino superior, podem agora concluira universidade. Isso acaba com a desigualdade
 social histórica que foi mantida por tantos anos no  Brasil, masque na gestão petista do
 ex-presidente Lula chegou ao fim", ressalta o parlamentar. 


ProUni
O Prouni tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais em
 instituições privadas de educação superior para alunos de baixa renda que tenham cursado
 o ensino médio em escola pública.
O programa já atendeu, desde sua criação até o processo seletivo do segundo semestre de
 2011, 919 mil estudantes, sendo 67% com bolsas integrais. Em Goiás, 24.704 alunos já foram
 beneficiados com bolsas integrais, enquanto 20.509 contaram com bolsas parciais, totalizando
45.213 universitários beneficiados no Estado.
Para ter acesso ao benefício integral, é necessário ter renda familiar per capita de 1,5 salário
mínimo.
 Já as bolsas parciais, que custeiam 50% da mensalidade, são destinadas aos alunos com renda
 familiar per capita de até três salários mínimos. Os candidatos são selecionados a partir da nota
 obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Leia mais
(Portal Brasil; edição: Assessoria de Comunicação)

Ariel Publicity on Facebook @CyberPR on Twitter Sound Advice TV Ariel Publicity on iTunes Ariel Publicity's Blog
May 07, 2012

Special Announcement

Hello!

As a Board Member at the non-profit charity, Sweet Relief Musicians Fund, I’d like to invite you to our Board of Directors Special Event this Wednesday May 9th to participate in a fundraiser and musical performance. This event will be hosted by me and my fellow board members.

I am thrilled that Conor Oberst/Bright Eyes has agreed to perform at this event, I am further excited to say that Jesse Harris, who wrote "Don't Know Why" along with much of the remainder of the first Norah Jones album, will be joining him!

This offer is for my list only (the tickets cost $500 each but I have negotiated a very special discount price of $100)

There are only 2 tickets available at this price.  Please call me directly to reserve your special spot. (212) 239-8384 today. 


Our featured speaker for the evening will be Lester Chambers.  Lester has been a professional musician and recording artist for almost 60 years, highlighted as a member of The Chambers Brothers.  Lester has toured the world, played with many of the greatest artists in music history and represents a significant position in our nation’s musical history and culture.  Lester is a cancer survivor (three times), had recently faced cataract blindness and homelessness.  Sweet Relief was able to find support from Lester’s music friends and fans, obtain excellent medical treatment and find a place for Lester to call home.  He is a warm hearted and wonderful man with a great story of tragedy and triumph.

Sweet Relief has been providing assistance to professional musicians facing financial hardship due to illness, disability and age related problems since 1994.  Musicians battling cancer, MS, heart disease and other career threatening challenges receive assistance with medical bills, housing, food costs and other vital living expenses.

With gratitude and much consideration we request attendees at the event to make a contribution of $100 - There are only 2 tickets available at this price.

Click here for more Info about this event.

This is entirely tax deductible and goes to an amazing cause.

Event arrival begins at 6:30 pm for appetizers, wine and soft drinks.  The program will begin at 7:00pm and will end at 8:30pm.

The event location is a private residence at The Beresford - 7 WEST 81 STREET at Central Part West

Please call me directly to reserve your special spot. (212) 239-8384 today. 

The first caller will get the pair.


Yours In Music,

Ariel


PS

If you would like to make a tax deductible donation I would deeply appreciate your support - even $5 makes a difference
Contact Us
Forward to a Friend
Click here to forward this email to a friend…



Permission & Privacy
You have received this email because you "opted-in" and requested to receive the Ariel Publicity Band Letter or as a courtesy because you are a member of the music media. To unsubscribe to this email list, please click here. Thank you.
Ariel Publicity on Facebook @CyberPR on Twitter Sound Advice TV Ariel Publicity on iTunes Ariel Publicity's Blog