quinta-feira, 25 de novembro de 2010

"A felicidade consiste em preparar o futuro,pensando no presente e esquecendo o passado se foi triste." [ John Ruskin ]

Bullying;



Bullying, um problema que merece tradução



Bullying é uma situação que se caracteriza por atos agressivos verbais ou físicos de maneira repetitiva por parte de um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo inglês refere-se ao verbo "ameaçar, intimidar". A versão digital desse tipo de comportamento é chamada de cyberbullying, quando as ameaças são propagadas pelo meio virtual.



Estão inclusos no bullying os apelidos pejorativos criados para humilhar os colegas. E todo ambiente escolar pode apresentar esse problema. "A escola que afirma não ter bullying ou não sabe o que é ou está negando sua existência", diz o médico pediatra Lauro Monteiro Filho, fundador da Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência (Abrapia), que estuda o problema há nove anos.



Segundo o médico, o papel da escola começa em admitir que é um local passível de bullying, informar professores e alunos sobre o que é e deixar claro que o estabelecimento não admitirá a prática - prevenir é o melhor remédio. O papel dos professores também é fundamental. Eles podem identificar os atores do bullying - agressores e vítimas. "O agressor não é assim apenas na escola. Normalmente ele tem uma relação familiar onde tudo se resolve pela violência verbal ou física e ele reproduz isso no ambiente escolar", explica o especialista. Já a vítima costuma ser uma criança com baixa autoestima e retraída tanto na escola quanto no lar. "Por essas características, é difícil esse jovem conseguir reagir", afirma Lauro. Aí é que entra a questão da repetição no bullying, pois se o aluno reage, a tendência é que a provocação cesse.



Claro que não se pode banir as brincadeiras entre colegas no ambiente escolar. O que a escola precisa é distinguir o limiar entre uma piada aceitável e uma agressão. "Isso não é tão difícil como parece. Basta que o professor se coloque no lugar da vítima. O apelido é engraçado? Mas como eu me sentiria se fosse chamado assim?", orienta o médico. Ao perceber o bullying, o professor deve corrigir o aluno. E em casos de violência física, a escola deve tomar as medidas devidas, sempre envolvendo os pais.



O médico pediatra lembra que só a escola não consegue resolver o problema, mas é normalmente nesse ambiente que se demonstram os primeiros sinais de um agressor. "A tendência é que ele seja assim por toda a vida a menos que seja tratado", diz. Uma das peças fundamentais é que este jovem tenha exemplos a seguir de pessoas que não resolvam as situações com violência - e quem melhor que o professor para isso? No entanto, o mestre não pode tomar toda a responsabilidade para si. "Bullying só se resolve com o envolvimento de toda a escola - direção, docentes e alunos - e a família", afirma o pediatra.


Bullying: é preciso levar a sério o 1º sinal
Como lidar com brincadeiras que machucam a alma.
http://revistaescola.abril.com.br/inclusao/educacao-especial/chega-omissao-bullying-deficiencia-preconceito-prevencao-necessidades-educacionais-especiais-518770.shtml
http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/cyberbullying-massacre-virtual-467187.shtml
As crianças diante do massacre moral.

(Fonte: revista escola abril)











"O mais feliz dos felizes é aquele que faz os outros felizes."



(Alexandre Dumas)



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

"A despedida é tudo o que conhecemos do céu e tudo o que precisamos do inferno." (Emily Dickinson)

Qual é o abuso?



O abuso é a palavra que usamos quando alguém faz

coisas ruins para nós ou nos fere.

Você tem os mesmos direitos que qualquer outra pessoa.

 Abuso vai contra os seus direitos.

O abuso pode acontecer uma vez ou muitas vezes.

O abuso pode acontecer em qualquer lugar.

 Este pode ser o lugar onde vivemos, onde passamos o nosso dia ou em um lugar público como um shopping center ou de ônibus.

Todas as pessoas podem abusar de nós. Eles podem ser pessoas importantes, como assistentes sociais ou

médicos. Eles podem ser estranhos. Podem ser pessoas que trabalham com outros utilizadores do serviço

ou aqueles que nos ajudam. Mesmo as pessoas em nossa família podem abusar de nós.

Abuso podem resultar em danos.

Lembre-se: O abuso é sempre errado. Nunca é sua culpa.

Às vezes, o abuso pode ser contra a lei.

Se você é abusado, você pode sentir medo, infeliz, irritado ou confuso.

Você pode sentir medo de falar ou deixar a pessoa a fazer coisas ruins.

A pessoa pode dizer que é um segredo, ou que ela vai feri-lo se você falar.



O abuso não é :

Às vezes as coisas acontecem para todos nós que não gostamos.

Às vezes não podemos ter nosso próprio caminho.

Às vezes nos machucamos por acidente.

Às vezes, temos argumentos.

Estes não são os abusos. Abuso é pior do que essas coisas.


Como faço para saber se é abuso?


Existem cinco tipos de abuso.


1. O abuso físico


2. O abuso sexual


3. Negligência


4. O abuso emocional


5. O abuso financeiro


Estes são olhados com mais detalhes abaixo.

1. Abuso físico

O abuso físico é quando alguém faz algo de propósito para

machucá-lo e isso resulta em dor ou sofrimento.

O abuso físico pode ser quando:

- Alguém bate em você

- Socos

- Te queima

- Chutes você

- Alguém tem para baixo

- Puxa o seu cabelo

- Pune por prendê-lo em uma sala


2. Abuso Sexual

Abuso Sexual é quando você não concordar em participar de uma

atividade sexual.

O abuso sexual pode ocorrer mesmo quando você disse que não.

O abuso sexual pode acontecer se você não for capaz de dar o seu consentimento, porque você não entender o que está acontecendo.

"Consentimento" significa dizer "sim". Você só pode dar o seu consentimento, se você entender o que é sexo

e você quer fazer algo sexual com essa pessoa.

Às vezes você pode ter medo de dizer "não" a alguém que tem poder sobre você.

 Este pode ser porque eles são maiores e mais fortes ou dizer o que fazer.

É ainda o abuso e ainda outras pessoas a culpa.

Homens e mulheres podem abusar sexualmente de pessoas que eles conhecem ou estranhos. Isso significa que podemos ser abusada sexualmente por pessoas que conhecemos ou por um estranho. Nós podemos ser abusada sexualmente por um homem ou uma mulher.

É sempre o abuso sexual se um assistente social ou cuidador pago faz algo sexual com vocês.

coisas sexuais incluem:

• Tirar fotos de você nua - sem sua roupa

• Olhando para a pornografia em revistas, filmes ou na internet

• Ao tocar partes íntimas

• assistir sexo

• Sexo


 Negligência

Negligência inclui ignorando suas necessidades de cuidados ou deliberadamente não

prestação de cuidados.

Negligência é quando as pessoas que você confia em você para lhe ajudar

não ajudá-lo.

• negligência Às vezes é porque a pessoa que você confia na não é capaz

para cuidar de você.

• negligência Às vezes é porque eles optem por não cuidar de você.

• Isso pode resultar em aparência desarrumada alguém, o cabelo unbrushed, sujo

roupas e alimentos não sendo dado.

• Isso pode resultar em uma condição médica não tratada

• Isso pode resultar em ambientes pobres vivendo em comparação com outros


 Emocional


O abuso emocional é quando as pessoas dizem coisas ruins para você e ferir seus sentimentos,

eles fazem você se sentir assustado e humilhado.

Isso pode incluir:

• Bullying e xingamentos( Bullying)

• Gritos e palavrões

• insultar e humilhar você

• Ameaçar você

• Não encontro suas necessidades de suporte

• Restringir ou impedir o contato social com parentes

• Cuidador prevenção assistente social visita



 Financeiro

O abuso financeiro é quando alguém toma o seu dinheiro ou coisas sem perguntar a você.

O abuso financeiro é quando você não tem uma palavra a dizer na forma como você ou alguém passa

seu dinheiro

O abuso financeiro inclui:


• Roubo de dinheiro e coisas que você possui

• Desvio de dinheiro ou seja, comprar coisas com o seu dinheiro

que você não quer ou não é realmente para eles

• Não dar dinheiro para as coisas que você realmente precisa

• Não pagar as contas para você

• Não dar-lhe dinheiro quando você precisar dele

• Decepção

• Contrair empréstimos em seu nome



Quem abusa das pessoas?

Todas as pessoas podem abusar de nós. Eles podem ser pessoas que são respeitados, como o social

trabalhadores ou médicos. Eles podem ser estranhos.

 Eles as pessoas podem ser que trabalham com usuários de outros serviços ou aqueles que nos ajudam.

Mesmo as pessoas em nossa família pode abusar de nós.

Não podemos identificar um agressor por aquilo que vestem ou como eles se parecem.
 Alguém pode olhar agradável e abusar das pessoas, ou olhar assustador e ser gentil com as pessoas.

A maioria das pessoas que foram abusadas eram abusadas por pessoas que conhecíamos.



Onde é que o abuso acontece?

Precisamos nos manter seguros onde quer que estejamos. Esta é porque o abuso pode acontecer em qualquer lugar.
Isso pode acontecer :

• Sempre que vivemos

• Sempre que nós trabalhamos

• Na comunidade

• No médicos

• No hospital

• Na escola ou faculdade

Quando sabemos como nos manter seguros, não precisamos ter medo o tempo todo.


Nós podemos nos manter segura:

• Falar se estamos infelizes - pessoas que falam

até têm menos probabilidade de ser abusado

• Ter pessoas nós confio - o abuso é mais fácil quando as pessoas

estão por conta própria

• Ter informações sobre o que é abuso eo que

fazer

• Ter o apoio de grupos de usuários onde podemos conversar

preocupação sobre as coisas que nós

• Ter um advogado que pode falar em nosso nome

• Tomar parte nas decisões que afetam nossas vidas



Help! Alguém que eu conheço está sendo abusada !

Você pode ajudar a parar o abuso. Você pode dizer para alguém que você

confiança sobre o assunto. Você pode ajudar a pessoa a falar por

si mesmos. Algumas pessoas não podem falar. Você pode falar

para eles.

Você pode se sentir assustado e indefeso, quando um amigo está sendo

abusada. Pergunte a alguém de confiança para ajudá-lo a compreender

como se sente.


Help! Estou sendo abusada !

Você não tem que aturar os abusos. Você pode fazer alguma coisa para fazer

parar.

Você pode dizer uma assistente social ou a polícia. Eles irão ajudá-lo. Eles podem

certifique-se de deixar de ser abusado.

"Mas eu tenho medo de falar"

É difícil falar sobre o abuso.

A pessoa abusar de você sabe disso.

Eles querem fazer com medo de falar.

Você pode obter ajuda de um amigo ou alguém da sua confiança.

Você pode telefonar para uma linha telefónica.

Seja qual for a pessoa abusar de você diz, você NÃO tem que guardar um segredo.

É seguro dizer-se aos serviços sociais ou a polícia.
Eles têm o dever de ajudar a mantê-lo segura.

Help! Eu sou alguém abusando !

Algumas pessoas com dificuldade de aprendizagem de outros abusos pessoas.

Se você abusar de outras pessoas, você precisa de obter ajuda para parar.

Diga que você confia em alguém e pedir-lhes ajuda.

Abuso é ruim. Com a ajuda, você pode parar de fazer isso.

Se você tem quebrado a lei, poderá ter de falar com a polícia.


DEUS NUNCA TE MANDARÁ MAIS DO QUE

POSSA MANEJAR!

 



"O que mais nos aproxima de uma pessoa é a despedida, quando acabamos superando-nos, porque o sentimento e o juízo não querem andar juntos; e nós martelamos com violência o muro que a natureza ergueu entre ela e nós."
(Friedrich Nietzsche)




domingo, 21 de novembro de 2010

"O inimigo do bom é o melhor".(Eduardo Sterblitch )

Eduardo Sterblitch no Jô Soares .
Engraçado d+.








Do You have 5 Minutes to Help Us Out?


As a subscriber to the White House email list, we want to know what you think about our emails and the White House online program in general, so we put together a short survey. Can you take a few minutes to let us know what you think?
Tell us what yu think

Your survey responses are completely anonymous and not tied to your email address. White House staff will only use responses to this survey to help improve our email program and online program.

Did You Know?

Here are some other cool things on WhiteHouse.gov that you may not know about.

White House White Board

Chairman of the Council of Economic Advisers Austan Goolsbee breaks down key economic issues like tax cuts for the middle class, jobs trends, and the National Export Initiative in this video series.

http://www.whitehouse.gov/whiteboard


West Wing Week

West Wing Week is our exclusive look at what’s going on at the White House each week, with special episodes dedicated to dispatches from places like the Gulf Coast and Iraq. Check out this week’s episode here:

http://www.whitehouse.gov/west-wing-week123


Inside the White House

Thousands of visitors tour the White House each day, but now you don’t have to travel to Washington, D.C. to get a peek inside. Check out our new interactive tour with some incredible behind-the-scenes photos from the Photo Office and our best "Inside the White House" videos.

http://www.whitehouse.gov/about/interactive-tour



Photo of the Day

Each day, new photos of the President, Vice President and First Family are posted in the Photo of the Day gallery. In addition, there are periodic photo galleries of important events and trips. Check out the photo of the day and other galleries here:

http://www.whitehouse.gov/photos-and-video/photogallery/november-2010-photo-day


President and Vice President’s Daily Schedules


Want to know what President Obama is up to today? The President and Vice President’s schedules are published online each day. You can even download the calendars using iCal. Check out what the President is up to right now:

http://www.whitehouse.gov/schedule/complete

You can get all of these features and more on WhiteHouse.gov, or sign up for the Daily Snapshot email and have the best of WhiteHouse.gov delivered to your inbox each morning:

http://www.whitehouse.gov/daily-snapshot



I.R.E.O. Projects - Egypt


• I.R.E.O. supports the agricultural project of the Egyptian-Danish Green Desert

NGO that focuses on the use of QUINOA;

• QUINOA is a 100% organic, amino acid-rich (protein) seed, originated in Peru;

• The local Bedouins in the North Coast will be the first to benefit from this

project; it will bring jobs and self-sustainability to low income communities;

• There are great opportunities to expand this project by investing in machinery

and a training centre;

• Although dependent on desert rain, a simple sprinkle system is sufficient;

• Developmental patterns were studied in five groups of quinoa lines and

measured on five different occasions between bud formation and seed set;

• The current phase (country level) is showing great results on three species;

• A training center will serve to educate the local youth on how to plant and sell

the products of this nutritious plant;

• The intent is to export the final product to other regions in need.































"Os homens sentem mais a necessidade de curar as suas doenças do que os seus erros."
 (Condessa de Ségur)


sexta-feira, 19 de novembro de 2010

""Somente em duas ocasiões tens de falar: quando souberes exatamente o que vais dizer, e quando não puderes evitar. Fora destes dois casos, é melhor o silêncio do que a prática." [ Isócrates ]



O planeta está de olho em Nossa Biodiversidade


A Floresta Amazônica éra o maior celeiro e biodiversidade da Terra, e boa parte


das espécies ainda é desconhecida. O mundo observa cada passo do Brasil, complacente, apenas observa sua agonia a distancia....


Existem dezessete países no mundo considerados "megadiversos" pela comunidade ambiental. São nações que reúnem em seu território imensas variedades de espécies animais e vegetais. Sozinhas, detêm 70% de toda a biodiversidade global. Normalmente, a "megadiversidade" aparece em regiões de florestas tropicais úmidas. É o caso de países como Colômbia, Peru, Indonésia e Malásia. Nenhum deles, porém, chega perto do Brasil. O país abriga aproximadamente 20% de todas as espécies animais do planeta. A variedade da flora também é impressionante. De cada cinco espécies vegetais do mundo, uma está por aqui. A explicação para tamanha abundância é simples. Os 8,5 milhões de quilômetros quadrados do território brasileiro englobam várias zonas climáticas, entre elas a equatorial do Norte, a semi-árida do Nordeste e a subtropical do Sul. A variação de climas é a principal mola para as diferenças ecológicas. O Brasil é dono de sete biomas (zonas biogeográficas distintas), entre eles a maior planície inundável (o Pantanal) e a maior floresta tropical úmida do mundo (a Amazônia).


O REINO DOS SAPOS


Apenas uma região da Amazônia, o Alto Juruá, tem mais de 140 espécies de sapo


VARIEDADE DE ANIMAIS


O maior ponto de diversidade do mundo foi descoberto em 2001 no Acre: lá estão cinqüenta espécies de réptil e 300 de aranha.
A Floresta Amazônica é a grande responsável por boa parte da riqueza natural do país. Com 5,5 milhões de quilômetros quadrados, possui nada menos que um terço de todas as espécies vivas do planeta. No Rio Amazonas e em seus mais de 1 000 afluentes, estima-se que haja quinze vezes mais peixes que em todo o continente europeu. Apenas 1 hectare da floresta pode trazer até 300 tipos de árvore. A floresta temperada dos Estados Unidos possui 13% do número de espécies de árvores da Amazônia. A Floresta Amazônica é considerada a grande "caixa-preta" da biodiversidade mundial. Há estimativas que indicam existir mais de 10 milhões de espécies vivas em toda a floresta, mas o número real é incalculável.




A CAIXA-PRETA DA BIODIVERSIDADE


Estimativas apontam que existam mais de 10 milhões de espécies vivas na Floresta Amazônica, das quais se conhece apenas uma ínfima parte. Cada hectare pode ter 300 tipos de árvore. Entre os animais, são milhões de insetos, centenas de aves e dezenas de primatas. No topo da cadeia alimentar reina a onça-pintada, o maior felino da América, hoje ameaçada pela caça predatória


O MACACO-INGLÊS


O uacari-branco só existe na reserva de Mamirauá, no Amazonas. O apelido vem do corpo branco e da cara vermelha, como um europeu que torrou sob o sol da Amazônia

Para se ter uma idéia do grau do desconhecimento sobre a Amazônia, sua região mais rica em biodiversidade foi descoberta recentemente. O Alto Juruá, no Acre, ostenta o saldo invejável de 616 espécies de ave, cinqüenta de réptil, 300 de aranha, 140 de sapo, dezesseis de macaco, além de 1 620 tipos de borboleta. Tudo isso num ambiente já alterado pelo homem. O curioso é que, segundo os cientistas, foi exatamente a ocupação humana (em baixa escala, é claro) que deu ao Alto Juruá a exuberância que exibe hoje. O desmatamento moderado para a criação de roçados e clareiras nos seringais é semelhante à ação de pequenas devastações naturais, como as tempestades. Espécies já estabelecidas e dominantes são abaladas e cedem espaço a outras mais frágeis, que sem esses minicataclismos não teriam condição de se impor e florescer.


PLANTAS E FLORES PARA TODOS OS GOSTOS


Estima-se que existam na Amazônia mais de 5 milhões de espécies vegetais. Desse total, apenas 30 000 foram identificadas. Mesmo assim, elas representam 10% das plantas que há em todo o planeta


HÓSPEDES DAS ÁRVORES


Em toda árvore amazônica crescem outras plantas, como orquídeas e bromélias


O MÍNIMO E O MÁXIMO


Metade de todas as plantas do Brasil está na Amazônia. É um ambiente capaz de juntar flores diminutas (fotos) com árvores de mais de 50 metros de altura

O termo "biodiversidade", ou "diversidade biológica", é usado para descrever a variedade da vida em uma região. Quanto mais vida presente, mais biodiversa a região se torna. O cálculo da biodiversidade é feito através da quantidade de ecossistemas, espécies vivas, patrimônio genético e endemismo, ou seja, ocorrências biológicas exclusivas de uma região. O Brasil é o país com maior quantidade de espécies endêmicas: 68 mamíferos, 191 aves, 172 répteis e 294 anfíbios. As atuais estatísticas sobre biodiversidade, tanto no Brasil como no mundo, são baseadas apenas nas espécies conhecidas até hoje. Cálculos da Universidade Harvard feitos em 1987 estimavam a existência de algo em torno de 5 milhões de espécies de organismos vivos no planeta. Estudos mais recentes mostram que a biodiversidade global deve se estender a até 100 milhões de espécies. Destas, apenas 1,7 milhão já foram catalogadas. "A disparidade entre o que se conhece e o que se acredita existir mostra como sabemos pouco sobre a biodiversidade mundial", afirma Lidio Coradin, do Programa Nacional de Biodiversidade e Florestas e Recursos Genéticos da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente. Novas espécies são descobertas todos os dias e outras desaparecem sem que se tome conhecimento de sua existência.



O PARAÍSO DAS ARARAS E DOS PAPAGAIOS


Na Amazônia vivem algumas das aves mais coloridas do mundo, como a ararajuba (foto) e a arara-azul. Por serem belas e imitarem a voz humana, são muito cobiçadas pelos traficantes


AVES EXCLUSIVAS


191 espécies de aves só existem na Amazônia


GALO NA FLORESTA


Típico do norte da Amazônia, o galo-da-serra habita escarpas rochosas e emite barulhos parecidos com miados


UM NOBRE ENTRE AS AVES


O gavião-real, ou harpia, é a ave mais imponente da floresta. Predador voraz, vive no topo das árvores, a mais de 50 metros de altura, de onde mergulha para os galhos mais baixos atrás de presas como roedores ou pequenos macacos. O desmatamento e a alteração de seu habitat o colocaram na lista dos animais em risco de extinção por mais de uma década

No Brasil, milhares de animais, plantas e microrganismos ainda estão para ser descobertos, graças à variedade climática e de ecossistemas do país. Na própria Amazônia, há uma diversidade enorme de ambientes, que vão das áreas de mata fechada aos cerrados. Calcula-se que hoje no Brasil a exploração da biodiversidade responda por cerca de 5% do PIB do país, 4% dos quais vêm da exploração florestal e 1% do setor pesqueiro. Uma pesquisa publicada recentemente na revista Nature mostra que o valor dos serviços proporcionados pela biodiversidade mundial pode atingir 33 trilhões de dólares por ano. É um patrimônio mal explorado. Pesquisas sobre o potencial farmacêutico de espécies da Amazônia praticamente não existem no país. Também é grande o contrabando de espécies na chamada biopirataria. São problemas que só serão resolvidos quando o país perceber que é mais vantajoso tirar dinheiro da floresta viva do que devastá-la, mas parece que isto não acontecerá, sua devastação é inevitável.....

O que é meio ambiente?
MEIO AMBIENTE - é o conjunto de condições, leis, influências e infra-estrutura de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas.



BIOSFERA - biosfera. Bios vem do grego "vida". A biosfera se estende um pouco acima e um pouco abaixo da superfície do planeta é uma película de terra firme, água, energia e ar que envolve o planeta Terra. É o habitat viável de todas as espécies de seres vivos.

ECOLOGIA - É o estudo do lugar onde se vive, com ênfase sobre a totalidade ou padrão de relações entre os organismos e o seu ambiente. Deriva do grego "oikos" = casa e "logos"=estudo, ou seja, o estudo do meio ambiente onde vivemos e a sua relação e interação com todos os seres vivos.


IMPACTO AMBIENTAL - qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente, afetam a saúde, a segurança e o bem estar da população; as atividades sociais e econômicas; a biota; as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente; a qualidade dos recursos ambientais .

EL NIÑO - É um fenômeno meteorológico natural que se repete de 2 a 7 anos, em média, e decorre do aumento anormal da temperatura do Oceano Pacífico, atingindo mais intensamente o Peru. A costa peruana é caracterizada por águas muito frias. Como a substituição das águas normalmente frias por quentes costuma ocorrer logo após o Natal, esse fenômeno meteorológico passou a ser chamado de El Niño ( o Menino Jesus, em espanhol). Há registros de sua ocorrência desde a época do descobrimento da América. O aquecimento das águas superficiais do Pacífico interfere no regime de ventos e, portanto, no deslocamento das nuvens e no regime das chuvas, gerando alterações significativas do clima em todo o planeta. Grandes secas na Índia, no Nordeste do Brasil, na Austrália, Indonésia e África podem ser decorrentes do fenômeno, assim como algumas enchentes no Sul e Sudeste do Brasil, Peru, Equador e no Meio Oeste dos Estados Unidos. Em algumas áreas, observam-se temperaturas mais elevadas que o normal ( como é o caso das regiões central e Sudeste do Brasil, durante o inverno), enquanto em outras ocorrem frio e neve em excesso. Especificamente no Brasil, o El Niño provoca chuvas intensas no Sul e secas mais severas no Norte e Nordeste. O Estado de São Paulo está localizado numa zona de transição. Aqui o El Niño provoca chuvas ligeiramente acima do normal, mas também provoca uma melhor distribuição de chuvas em alguns meses (setembro, novembro, abril e maio). Isso significa que o fenômeno pode apresentar aspectos negativos, como a maior possibilidade de ocorrência de inundações, mas também pode ser benéfico, desde que se esteja convenientemente preparado para enfrentá-lo. Assim, a melhor distribuição de chuvas pode beneficiar a agricultura. Do ponto de vista hidrológico, o El Niño aumenta a chance de ocorrência de vazões mais elevadas em rios do Estado de São Paulo. Isso pode provocar enchentes e inundações, mas ao mesmo tempo, também com o aumento da vazão dos rios, melhora as condições de geração de energia e abastecimento de água . El NINO eu diária EL DEPREDAÇÃO, Como ambientalista as graves mudanças climáticas não seria nada mais com a retirada da roupa da mãe Natureza, O ciclo normal das chuvas estão sendo alteradas não pelo el-nino mas sim pela mão do homem. É muito fácil de entender. Observe a Amazonas ainda temos uma densa biodiversidade de elementos vegetais a quantidade de floresta é imensa e úmida isto provoca chuvas torrenciais quase todos os dias, embora o solo seja muito pobre, a floresta é rica em vida animal. As arvores seguram o vento não deixando que circule livremente sendo que em uma área aberta ele cria força transformando em furacão. A influencia dos ventos sem a umidade necessária das arvores os rios e nascente secam mais rapidamente e o vento se encube de levar esta evaporação para lugares distantes, esta é a umidade do solo que causa a chuva. Porque alguns deserto nunca chove? Porque chove muito as vezes em um lugar só? Porque as alta temperaturas? Isto não acontecia antes do Homem começar a depredar...


UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - unidades de conservação são as porções do território nacional, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais de relevante valor de domínio público ou propriedade privada, legalmente instituídas pelo poder público com os objetivos e limites definidos, sob regimes especiais de administração, às quais se aplicam garantias adequadas de proteção.


FLORESTA - entidade biológica formada por um conjunto complexo de formas vegetais interdependentes, que se dispõe em camadas, e cujo elemento dominante é a árvore.


FLORA SILVESTRE - É o conjunto de vegetais naturais de uma região ou país. Vegetais nativos do lugar.

FLORA EXÓTICA - É o conjunto de vegetais não nativos de uma região,que foi adaptado ao local ou importado.


Mata Atlântica - Formação vegetal com grande riqueza de espécies, geralmente apresentando três estratos: superior com espécies arbóreas de altura entre 15 a 40 metros; intermediário com alta densidade de espécies, constituído por arbustos, arboretos e árvores de pequeno porte, entre 3 e 10 metros; e um terceiro, composto por grande variedade de ervas rasteiras, cipós, trepadeiras, além de palmeiras e samambaias. A Mata Atlântica abriga grande variedade de espécies da fauna brasileira, como: onça, sagüi de tufo preto, paca, cotia, tucano de bico verde, caxingulê, mono-carvoeiro, entre outras. Essa vegetação atualmente recobre principalmente o litoral e Serra do Mar, estendendo-se para o interior do Estado, onde adquire características típicas de clima mais seco com perda de folhas, floração e frutificação em períodos bem determinados. Entre a formação vegetal da Mata Atlântica encontra-se o pau-jacarré, bromélia, palmeira, guapuruvú e a embaúba Hoje só existe 3% da da mata atlântica e se extinguirá em pouco tempo, enquanto a fauna e flora agoniza sua morte. Os policos corruptos e gananciosos ficam para lá e para cá de jatinhos e hotéis de luxo gastando rios de dinheiro O nosso dinheiro. E assim acabará a Amazonas em um enorme deserto, e o resto do pais sendo roubado todos os dias, seus recursos naturais; Acordem povo Brasileiro antes que seja muito tarde.


MANGUE - Formação típica de litoral, sob ação direta das marés, com solos limosos de regiões estuárias. Constitui-se de único estrato de porte arbóreo e diversidade muito restrita. Neste ambiente salobro desenvolvem-se espécies adaptadas à essas condições, ora dominado por gramíneas o que lhe confere uma fisionomia herbácea; ora dominado por espécies arbóreas. O mangue abriga grande variedade de espécies da fauna brasileira, como tapicuru, guará, crustáceos, sapos, insetos, garça, entre outros. O mangue, devido ao acúmulo de material orgânico, característica importante desse ambiente, garante alimento e proteção para a reprodução de inúmeras espécies marinhas e terrestres.

ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL (APA) - são destinadas à proteção ambiental, visando assegurar o bem-estar das populações humanas e a conservação ou melhoria das condições ecológicas locais.

RESERVAS BIOLÓGICAS - são áreas delimitadas com a finalidade de preservação e proteção integral da fauna e flora, para fins científicos e educativos, onde é proibida qualquer forma de exploração dos seus recursos naturais.

ESTAÇÕES ECOLÓGICAS - são áreas representativas de ecossistemas brasileiros, destinados à realização de pesquisas básicas e aplicadas de ecologia; à proteção do ambiente natural e ao desenvolvimento da educação conservacionista. Nessas áreas não há exploração do turismo.


PARQUES - são áreas geográficas extensas e delimitadas, dotadas de atributos naturais excepcionais, objeto de preservação permanente,submetidas à condição de inalienabilidade e indisponibilidade em seu todo. Destinam-se a fins científicos, culturais, educativos e recreativos. São criadas e administradas pelos Governo Federal, Estadual e Municipal, visando principalmente a preservação dos ecossistemas naturais englobados contra quaisquer alterações que os desvirtuem.


ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE


- pelo Art. 2º da lei 4771/65, consideram-se de preservação permanente as florestas e demais formas de vegetação natural situadas:


a) ao longo dos rios ou de qualquer curso d'água desde o seu nível mais alto em faixa marginal cuja largura mínima seja:


1) de 30 (trinta) metros para os cursos d'água de menos de 10 (dez) metros de largura;


2) de 50 (cinqüenta) metros para os cursos d'água que tenham de 10 (dez) a 50 (cinqüenta) metros de largura;


3) de 100 (cem) metros para os cursos d'água que tenham de 50 (cinqüenta) a 200 (duzentos) metros de largura;


4) de 200 (duzentos) metros para os cursos d'água que tenham de 200 (duzentos) a 600 (seiscentos) metros de largura esta é a lei arbitraria dos politicos dá para a mãe Natuereza que sacia nossa sede e mata nosso fome.


5) de 500 (quinhentos) metros para os cursos d'água que tenham largura superior a 600 (seiscentos) metros; artificiais;


b) ao redor das lagoas, lagos ou reservatórios d'água naturais ou


c) nas nascentes, ainda que intermitentes e nos chamados olhos d'água, qualquer que seja a sua situação topográfica, num raio mínimo de 50 (cinqüenta) metros de largura;


d) no topo de morros, montes, montanhas e serras;


e) nas encostas ou partes destas, com declividade superior a 45°, equivalente a 100% na linha de maior declive;


f) nas restingas, como fixadoras de dunas ou estabilizadoras de mangues;


g) nas bordas dos tabuleiros ou chapadas, a partir da linha de ruptura do relevo, em faixa nunca inferior a 100 (cem) metros em projeções horizontais;


h) em altitudes superiores a 1.800 (mil e oitocentos) metros, qualquer que seja a vegetação; e pelo Art. 3º, consideram-se, ainda, de preservação permanente, quando assim declaradas por ato do Poder Público, as florestas e demais formas de vegetação natural destinadas:


a) a atenuar a erosão das terras;


b) a fixar as dunas;


c) a formar faixas de proteção ao longo de rodovias e ferrovias;


d) a auxiliar a defesa do território nacional, a critério das autoridades militares;


e) a proteger sítios de excepcional beleza ou de valor científico ou histórico;


f) a asilar exemplares da fauna ou flora ameaçados de extinção;


g) a manter o ambiente necessário à vida das populações silvícolas;


h) a assegurar condições de bem-estar público.

POLUIÇÃO - degradação da qualidade ambiental resultante de atividades que direta ou indiretamente:


a) prejudiquem a saúde, a segurança e o bem estar da população;
b) criem condições adversas às atividades sociais e econômicas;
c) afetem desfavoravelmente a biota;
d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente; 
e) lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos.



RECURSOS NATURAIS -a atmosfera, as águas interiores, superficiais e subterrâneas, os estuários, o mar territorial, o solo, o subsolo e os elementos da biosfera, a fauna e a flora.


CAMPO - formação com apenas um andar de cobertura vegetal, constituída principalmente de leguminosas, gramíneas e ciperáceas de pequeno porte, inexistindo praticamente, formas arbustivas.


CAMPO SUJO - formação com apenas um andar de cobertura vegetal, constituída principalmente de leguminosas, gramíneas e ciperáceas de pequeno porte, inexistindo praticamente, formas arbustivas.


CERRADO OU CAPOEIRA - formação vegetal constituída de dois andares, o primeiro de vegetação rasteira e o segundo de arbustos e formas arbóreas que raramente ultrapassam 6 metros de altura. Há o domínio de formas arbustivas. As espécies vegetais mais comuns no cerrado são o faveiro, a copaíba, o angico preto, o barbatimão e a lixeira. O cerrado é riquíssimo em espécies animais devido ao seu grande número de nichos ecológicos. Abriga algumas espécies ameaçadas de extinção como o tamanduá-bandeira, o tatu- canastra, o tatu-bola, o veado campeiro, o lobo-guará, a onça pintada, a ema e a perdiz. As áreas de cerrado são alvo constante de expansão agrícola pela facilidade de mecanização do terreno. Além disso, apresentam características que as tornam muito suscetíveis ao fogo.

CERRADÃO OU CAPOEIRÃO - formação vegetal constituída de 3 andares; o primeiro apresenta espécimes rasteiras ou de pequeno porte; o segundo apresenta arbustos e pequenas formas arbóreas, constituindo o sub-bosque; e o terceiro apresenta formas arbóreas de 5 a 20 metros de altura, com predominância de madeiras duras.


RESTINGA- a vegetação de restinga é aquela que podemos encontrar ao longo das praias e das planícies costeiras. Sua fisionomia variada está diretamente relacionada ao solo arenoso onde ela se encontra.

Habitats costeiros- em sérios perigo em quase toda costa brasileira. A Petrobrás, assim como centenas de navios derramam milhares de litros de óleo no mar, as praias mais poluídas com petróleo é a do Rio Grande do Sul, são raros os habitats costeiros protegidos no Brasil, uma quantidade imensa já foram extintas outras milhares já entram na lista devido a: pesca predatória, esgoto a céu aberto, excesso de urina dos humanos, por falta de educação ambiental e infra estrutura estão dizimando os corais que é o berço de todos os peixes marinhos.

Vegetação de praias e dunas - localiza-se próxima ao mar sobre areia seca, onde encontra-se vegetação rasteira e alguns arbustos.

Vegetação sobre cordões - seguindo em direção à serra, nas partes mais altas das ondulações dos cordões encontram-se moitas e arbustos com ramos retorcidos.

Floresta baixa de restinga - localiza-se mais para o interior e a vegetação é mais alta, com arbustos e arvoretas, presença de bromélias, trepadeiras e orquídeas.

Floresta de alta restinga - com árvores mais altas ( 10 a 15 metros) e com copas que se tocam.

Ebrejo de restinga - permanentemente inundado, sua vegetação é herbácea.


Floresta paludosa - menos fechada, inundada com predominância de caixeta ou guanandi.

Floresta paludosa sobre solo turfoso - também menos fechada e inundada, mas em seu substrato encontra-se grande quantidade de matéria orgânica.


Transição restinga encosta - é uma vegetação densa com árvores de cerca de 18 m de altura e onde contramos com frequência o palmito e animais de grande porte como macacos bugios e onças.


Características:

- Depende mais do solo do que do clima.
- As diferentes situações de drenagem condicionam a formação do mosaico da restinga.
- Ocorre interligação florística entre as formações da enconsta e da restinga e interações de fluxo dos nutrientes entre a restinga e o manguezal.
- A vegetação de restinga impede que a areia invada o manguezal estabilizando-o.
- Caracteriza a vegetação de restinga a capacidade de suportar altas temperaturas e salinidade, de dessecação e de sobrevivência com pouco disposição de nutrientes.
- A grande quantidade de bromélias nas restingas equilibra o sistema, por sua capacidade de reter água e nutrientes.
- Podem ocorrer os seguintes contatos: floresta de encostamanguezal-restinga; floresta de enconsta- restinga-manguezal e floresta de encosta-restinga- manguezal,
- Existem formações na restinga que não possuem processo sucessional - são pioneiras de primeira ocupação: Praias e dunas, entre cordões arenosos, brejos e floresta paludosa (arbórea aberta, caxeta/guanandi).


ÁREAS NATURAIS TOMBADAS - São áreas ou monumentos naturais, cuja conservação é de interesse público, seja pelo seu valor histórico, ambiental, arqueológico, geológico, turístico ou paisagístico. Podem ser instituídas em terras públicas ou particulares e, uma vez inscritas no Livro do Tombo, essas áreas passam a ter restrições quanto ao uso, de modo a garantir a conservação de suas características originais.


ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL - Respeitados os princípios constitucionais que regem o exercício do direito de propriedade, o poder executivo poderá criar Áreas de Proteção Ambiental, estabelecendo normas que limitem ou proíbam a implantação ou o desenvolvimento de atividades que afetem as características ambientais dessas áreas, sua condições ecológicas ou ainda que ameacem extinguir as espécies da biota regional.


Nesse sentido, a APA é uma Unidade de Conservação que visa a proteção da vida silvestre e a manutenção de bancos genéticos, bem como dos demais recursos naturais, através da adequação e orientação das atividades humanas na área, promovendo a melhoria da qualidade de vida da população.


Trata-se de uma forma de conservação que disciplina o uso e a ocupação do solo, através do zoneamento, procedimentos de controle e fiscalização, programas de educação e extensão ambiental, cujo encaminhamento se dá em articulação com os órgãos do poder executivo, com as universidades, os municípios envolvidos e as comunidades locais. A implantação das APAs federais é de competência do IBAMA, das estaduais compete à Secretaria do Meio Ambiente respectiva.

ÁREAS DE RELEVANTE INTERESSE ECOLÓGICO - A criação de uma ARIE tem como finalidade a proteção de uma área natural de grande valor ecológico e extensão relativamente pequena (sempre inferior a 5.000 hectares), regulamentando e disciplinando a utilização de seus recursos ambientais.


ÁREAS SOBRE PROTEÇÃO ESPECIAL - São áreas ou bens assim definidos pelas autoridades competentes, em terras de domínio público ou privado, cuja conservação é considerada prioritária para a manutenção da qualidade do meio ambiente, do equilíbrio e da preservação da biota nativa. Podem ser definidas por resolução da autoridade ambiental federal, estadual ou municipal. Essa mesma autoridade é responsável pela coordenação das ações necessárias à sua implantação e conservação. As ASPES se caracterizam como uma primeira medida de proteção de áreas ou bens que após estudos mais aprofundados podem ser incluídos em outras categorias de conservação mais restritivas.


RESERVAS FLORESTAIS - Esta categoria de manejo é transitória. Geralmente são áreas extensas, não habitadas, de difícil acesso e ainda em estado natural. Seus recursos naturais não se encontram suficientemente identificados e avaliados a ponto de permitir que sejam manejadas. Busca-se então, através da criação das reservas, proteger seus recursos para uso futuro e impedir ou reter qualquer atividade que ameace sua integridade, até que as áreas sejam melhor conhecidas e então estabelecidos objetivos de manejo permanente como, por exemplo, transformá-las em Estação Ecológica, Parques Estaduais ou Reservas Biológicas. Enquanto isso não ocorre, as Reservas Florestais permanecem protegidas pela legislação estadual e administradas pelo Instituto Florestal.

RESERVAS LEGAIS AVERBADAS - O art. 16 do Código Florestal estatui que as florestas de domínio privado, não sujeitas ao regime de utilização limitada (art. 10) e ressalvadas as de preservação permanente, previstas nos art. 2º e 3º do Código, são susceptíveis de exploração, com as restrições discriminadas nas alíneas do dispositivo, permitindo-se a derrubada ou o desflorestamento, respeitado o limite mínimo de 20% ou 50%, conforme o caso, da área da propriedade com cobertura arbórea localizada, a critério da autoridade competente, ou ainda, com observância de normas técnicas de condução e manejo pelo poder público, tudo conforme a região e a natureza da formação florestal (nativas, primitivas ou regeneradas). A legislação complementar institui ainda, a obrigação da averbação em cartório às margens da matrícula, bem como a demarcação da área perimetral com picadas de 3 metros de largura e piquetes a cada 30 metros. Nos loteamentos especificamente, deverá ser agrupada.


PIRACEMA - É a época em que os cardumes se deslocam rio acima, rumo às nascentes, para reprodução. Pescar na época da Piracema significa interromper a procriação dos peixes, o que pode comprometer a manutenção dos cardumes e mesmo acarretar no desaparecimento de algumas espécies de peixe. Normalmente o defeso ocorre de novembro a janeiro podendo variar em cada região.


EROSÃO - o fenômeno de degradação e decomposição das rochas ou as modificações sofridas pelo solo devido a variações de temperatura e, principalmente à ação da água e do vento, é chamado de erosão. A erosão também pode ser induzida pela ação humana que acelera esse processo por meio de:

- culturas não adaptadas às características das terras;
- queimadas;
- desmatamento;
- mineração;
- compactação do solo pelo mau uso de máquinas;
- plantio feito de forma incorreta;
- ocupação irregular e não planejada de morros; e
- pisoteio excessivo do gado em pastagens.


Tipos de Erosão:


- Laminar: Arraste de uma camada muito fina e uniforme do solo, sendo a forma mais perigosa de erosão, uma vez que não percebida logo no início, faz-se notar somente quando atinge um grau muito elevado, após descobrir as raízes das plantas.


- Sulcos: formação de valas ou sulcos no terreno, sendo facilmente percebida. Em estágios mais avançados favorece o aparecimento de voçorocas.


- Voçorocas ou Boçorocas: aparecem geralmente nos terrenos arenosos e porosos. Em estágios avançados são de difícil recuperação.


Erosão por Água e Vento:


- Pluvial (ação das chuvas)
- Fluvial (ação dos rios)
- Marinha ( ação do mar)
- Glacial ( ação do gelo)
- Eólica (ação do vento)


Técnicas para Controle da Erosão e Conservação do Solo:


- Marcar as curvas em nível: diminui os efeitos de declividade do terreno. As culturas não devem ser implantadas morro abaixo.


- Terraceamento: construção de obstáculos seguindo as curvas em nível ou não, para reduzir a velocidade das águas que escorrem pelo terreno.


- Capina Alternada: evita que o terreno fique completamente limpo não sendo aconselhável na época da seca deixar o mato sobre o solo, devido a concorrência com a plantação na absorção da água.


- Adubação Verde: consiste no plantio de leguminosas nas entrelinhas de culturas perenes ou em terrenos que irão receber culturas anuais, visando proteger o solo, acumular matéria orgânica e reter a umidade.


- Calagem: incorporação de calcário no solo para melhorar a absorção de nutrientes e agregação das partículas do solo, promovendo melhor infiltração da água.


Problemas Causados pela Erosão:
- Perda de solo pelo arraste de partícula, acarretando queda na produtividade;
- Assoreamento dos cursos d'água (nascentes, córregos e rios);
- Contaminação nas águas por agroquímicos (agrotóxicos e fertilizantes químicos) que são arrastados com partículas do solo;
- Desmoronamento de encostas e taludes (degraus com inclinação determinada para conter a encosta) ou abertura de valetas.


PALMITO JUÇARA - na floresta atlântica o Juçara (Euterpe edulis), que também é conhecido como jiçara, palmito-branco, palmito doce ou jissareira. O Palmito Juçara já foi abundante em toda Mata Atlântica, mas devido a intensa exploração está cada vez mais raro. Encontrado em maior quantidade somente na região do Vale do Ribeira no Estado de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. O juçara é uma planta importante na floresta, pois serve de alimento para vários animais, que por sua vez, são polinizadores e dispersores de sementes de outras plantas. Por isso é chamado de "mutualista-chava", ajudando o equilíbrio desse ecossistema.


Além disso, o Palmito é uma importante alternativa de exploração econômica dos recursos da floresta, devendo ser protegido e explorado racionalmente, como no Manejo de Rendimento Sustentado. O Palmito juçara desenvolve-se na sombra de outras árvores e tem três fases de crescimento: plântula, planta jovem e planta adulta, quando começa a produzir frutos. O tempo desde a germinação até a planta adulta, pode varirar de 8 a 15 anos e em média de 50 sementes que germinam, só uma irá chegar à fase adulta. O Juçara depois de cortado não rebrota. Hoje dependendo da área onde é extraído essa planta e não havendo autorização legal, pode ser considerado crime ambiental nos termos da Lei n.9605/98. O palmito preparado de forma clandestina geralmente não tem boas condições de higiene, colocando em risco a saúde do consumidor.


Conservas contaminadas podem provocar diversos problemas, inclusive o botulismo, que pode ser mortal. O controle da exploração dos recursos naturais é realizado pelo DEPRN e as unidades de Policiamento Florestal e de Mananciais, no Estado de São Paulo. Veja nas Home Pages dos BPFM os principais endereços dessas Unidades, onde se poderá fazer as denúncias diretamente, caso tenha conhecimento da exploração ilegal. E lembre-se: não compre palmito sem rótulo; verifique se a embalagem está em perfeitas condições e não tenha traços de ferrugem; confira se a embalagem apresenta o registro do IBAMA e endereço do fabricante; veja se a embalagem está em perfeitas condições e cuidado ao comprar palmito "in natura", via de regra, são originários de exploração ilegal.




____________________________________

 Luana Piovani




Em meio a tanta polêmica em torno de sua vida, Luana demonstra serenidade , maturidade e da´ um show em entrevista a  Maria Gabriela.
(D+)






"A invencibilidade está na defesa; a possibilidade de vitória, no ataque. Quem se defende mostra que sua força é inadequada; quem ataca, mostra que ela é abundante"
 [ Sun Tzu ]



domingo, 14 de novembro de 2010

"O que nós somos é o presente de Deus a nós. O que nós nos tornamos é nosso presente a Deus." (Eleanor Powell)

Celso Amorim: 'Sempre digo que Pelé só teve um; igual a Lula não vai ter'

folha.com


Pré-sal



Camada pré-sal refere-se a um conjunto de reservatórios mais antigos que a camada de sal, principalmente halita e anidrita. Esses reservatórios podem ser encontrados do Nordeste ao Sul do Brasil (onshore e offshore) e de uma forma similar no Golfo do México e na costa Oeste africana. A área que tem recebido destaque é o trecho que se estende do Norte da Bacia de Campos ao Sul da Bacia de Santos desde o Alto Vitória até o Alto de Florianópolis respectivamente. A espessura da camada de sal na porção centro-sul da Bacia de Santos chega a 2.000 metros, enquanto na porção norte da bacia de Campo está em torno de 200 metros. Este sal foi depositado durante o processo de abertura do oceano Atlântico, após a quebra do Gondwana (Antigo Supercontinente formado pelas Américas e África, que foi seguido do afastamento da América do Sul e da África, iniciado a cerca de 120 milhões de anos). As camadas mais recentes de sal foram depositadas durante a última fase de mar raso e de clima semi-árido/árido
O pré-sal brasileiro.
As reservas de petróleo encontradas na camada pré-sal do litoral brasileiro estão dentro da área marítima considerada zona econômica exclusiva do Brasil. São reservas com petróleo considerado de média a alta qualidade, segundo a escala API. O conjunto de campos petrolíferos do pré-sal se estende entre o litoral dos estados do Espírito Santo até Santa Catarina, com profundidades que variam de 1000 a 2000 metros de lâmina d'água e entre quatro e seis mil metros de profundidade no subsolo, chegando portanto a até 8000m da superfície do mar, incluindo uma camada que varia de 200 a 2000m de sal.
Plataforma P-52, que extrai petróleo do campo de Roncador, inclusive da camada pré-salO geólogo e ex-funcionário da Petrobras Márcio Rocha Mello acredita que o pré-sal pode ser bem maior do que os 800 quilômetros já identificados, estendendo-se de Santa Catarina até o Ceará.

Apenas com a descoberta dos três primeiros campos do pré-sal, Tupi, Iara e Parque das Baleias, as reservas brasileiras comprovadas, que eram de 14 bilhões de barris, aumentaram para 33 bilhões de barris. Além destas existem reservas possíveis e prováveis de 50 a 100 bilhões de barris.

A descoberta do petróleo nas camadas de rochas localizadas abaixo das camadas de sal só foi possível devido ao desenvolvimento de novas tecnologias como a sísmica 3D e sísmica 4D, de exploração oceanográfica, mas também de técnicas avançadas de perfuração do leito marinho, sob até 2 km de lâmina d'água.

O pré-sal está localizado além da área considerada como mar territorial brasileiro, no Atlântico Sul, mas dentro da região considerada Zona Econômica Exclusiva (ZEE) do Brasil. É possível que novas reservas do pré-sal sejam encontradas ainda mais distantes do litoral brasileiro, fora da ZEE, mas ainda na área da plataforma continental, o que permitiria ao Brasil reivindicar exclusividade sobre futuras novas áreas próximas. Vale lembrar que alguns países nunca assinaram a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, e alguns dos que o fizeram não ratificaram o tratado.

Origem

Processo de separação da América do Sul e África e surgimento do Atlântico Sul, entre 140 e 60 milhões de anos atrás, quando se formou o petróleo do pré-salO petróleo do pré-sal está em uma rocha reservatório localizada abaixo de uma camada de sal nas profundezas do leito marinho.

Entre 300 e 200 milhões de anos havia um único continente, a Pangeia, que há cerca de 200 milhões de anos se subdividiu em Laurásia e Gondwana. Há aproximadamente 140 milhões de anos teve inicio o processo de separação entre as duas placas tectônicas sobre as quais estão os continentes que formavam o Gondwana, os atuais continentes da África e América do Sul. No local em que ocorreu o afastamento da África e América do Sul, formou-se o que é hoje o Atlântico Sul.

Nos primórdios, formaram-se vários mares rasos e áreas semi-pantanosas, algumas de água salgada e salobra do tipo mangue, onde proliferaram algas e microorganismos chamados de fitoplâncton e zooplâncton. Estes microorganismos se depositavam continuamente no leito marinho na forma de sedimentos, misturando-se a outros sedimentos, areia e sal, formando camadas de rochas impregnadas de matéria orgânica, que dariam origem às rochas geradoras. A partir delas, o petróleo migrou para cima e ficou aprisionado nas rochas reservatórios, de onde é hoje extraído. Ao longo de milhões de anos e sucessivas Eras glaciais, ocorreram grandes oscilações no nível dos oceanos, inclusive com a deposição de grandes quantidades de sal, que formaram as camadas de sedimento salino, geralmente acumulado pela evaporação da água nestes mares rasos. Estas camadas de sal voltaram a ser soterradas pelo oceano e por novas camadas de sedimentos quando o gelo das calotas polares voltou a derreter nos períodos inter-glaciais.

Estes microrganismos sedimentados no fundo do oceano, soterrados sob pressão e com oxigenação reduzida, degradaram-se muito lentamente e, com o passar do tempo, transformaram-se em petróleo, como o que é encontrado atualmente no litoral do Brasil.

O conjunto de descobertas situado entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo (Bem-te-vi, Carioca, Guará, Parati, Tupi, Iara, Caramba e Azulão ou Ogun) ficou conhecido como "Cluster Pré-Sal", pois o termo genérico "Pré-Sal" passou a ser utilizado para qualquer descoberta em reservatórios sob as camadas de sal em bacias sedimentares brasileiras.

Ocorrências similares sob o sal podem ser encontradas nas Bacias do Ceará (Aptiano Superior), Sergipe-Alagoas, Camamu, Jequitinhonha, Cumuruxatiba e Espírito Santo, no litoral das ilhas Malvinas, mas também já foram identificadas no litoral atlântico da África, no Japão, no Mar Cáspio e nos Estados Unidos, na região do Golfo do México. A grande diferença deste último é que o sal é alóctone (vindo de outras regiões), enquanto o brasileiro e o africano são autóctones (formado nessas regiões) (Mohriak et al., 2004).

Os nomes que se anunciam das áreas do Pré-Sal possivelmente não permanecerão, pois, se receberem o status de "campo de produção", deverão ser rebatizados segundo o artigo 3° da Portaria ANP nº 90, com nomes ligados à fauna marinha.

A extração de petróleo da camada Pré-Sal

Petrobrás extraiu petróleo do pré-sal pela primeira vez em setembro de 2008. No campo de Tupi a fase de extração petrolífera chamada de "teste de longa duração" teve início em maio de 2009. A produção em escala comercial deve iniciar a partir de 2010A descoberta de indícios de petróleo no pré-sal foi anunciada pela Petrobras em 2006. A existência de petróleo na camada pré-sal em todo o campo que viria a ser conhecido como pré-sal foi anunciada pelo ex-diretor da ANP e posteriormente confirmada pela Petrobras em 2007. Em 2008 a Petrobras confirmou a descoberta de óleo leve na camada sub-sal e extraiu pela primeira vez petróleo do pré-sal.
Em setembro de 2008, a Petrobras começou a prospectar petróleo da camada pré-sal em quantidade reduzida. Esta exploração inicial ocorre no Campo de Jubarte (Bacia de Campos), através da plataforma P-34. A Petrobras afirma já possuir tecnologia suficiente para extrair o óleo da camada. O objetivo da empresa é desenvolver novas tecnologias que possibilitem maior rentabilidade, principalmente nas áreas mais profundas.

Um problema a ser enfrentado pelo país diz respeito ao ritmo de extração de petróleo e o destino desta riqueza. Se o Brasil extrair todo o petróleo muito rapidamente, este pode se esgotar em apenas uma geração. Se o país se tornar um grande exportador de petróleo bruto, isto pode provocar a sobrevalorização do câmbio, dificultando as exportações e facilitando as importações; fenômeno conhecido como "mal holandês", que pode resultar no enfraquecimento de outros setores produtivos como a indústria e agricultura.

Administração do pré-sal

O governo brasileiro pretende criar uma nova estatal, que está sendo chamada provisoriamente de Petrosal. Esta nova empresa não seria destinada à exploração direta do petróleo, mas principalmente à administração dos mega-campos e à contratação de empresas petrolíferas para explorá-los em parceria com a Petrobras, definido conjuntamente com o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). É provável que esta empresa fique responsável pela gestão da parte do petróleo que ficará como pagamento para o governo no novo modelo de partilha de produção. Ainda não está claro se esta empresa também poderá investir em desenvolvimento tecnológico da área.

Alguns setores da sociedade brasileira chegaram a defender que a Petrobras tivesse exclusividade na gestão e exploração dos campos, mas o governo afirma que isto seria inviável no novo modelo de partilha de produção, pois existe uma grande participação de capital privado na empresa e o risco de esta tornar-se poderosa demais.

Impacto na legislação vigente

A descoberta das reservas do pré-sal tem provocado grandes debates em todo o país. Desde sua descoberta, muitos passaram a defender novos modelos de regulação para preservar uma parte maior desta riqueza para o país, envolvendo mudanças na atual Lei do Petróleo (lei nº 9.478 de 1997).

Uma comissão inter-ministerial organizada em 2008, trabalhou durante um ano discutindo diferentes propostas para elaborar um novo projeto de marco regulatório para o pré-sal. Durante o período em que foram discutidos os novos projetos, os leilões de petróleo foram interrompidos na área do pré-sal.

Em 31 de agosto de 2009 o Governo federal do Brasil anunciou quatro novos projetos para mudança no marco regulatório para o pré-sala.
O debate sobre a "nova Lei do Petróleo"

A princípio o debate em torno da modificação legal está dividido em três grandes grupos com objetivos e posições político-ideológicas distintas.

Alguns movimentos sociais, sindicatos, políticos ligados a partidos políticos mais à esquerda ou nacionalistas e alguns setores do governo defendem a volta à antiga Lei do Petróleo (lei nº 2.004 de 1953), incluindo a reestatização da Petrobras, a volta do monopólio estatal do petróleo e o fim das concessões para multinacionais petrolíferas no Brasil. A maior parte dos movimentos sociais defensores desta posição utiliza-se do lema "O pré-sal tem que ser nosso", em referência à campanha "O petróleo é nosso" dos anos 1950. Alguns destes grupos defendem apenas a ampliação da participação do capital estatal na Petrobras, sem a volta do monopólio estatal, permitindo empresas petrolíferas nacionais mas excluindo as multinacionais.

Os partidos políticos de oposição ao atual governo carece de fontes?, algumas das Federações de Indústrias, o setor financeiro e as multinacionais petrolíferas defendem a manutenção do atual modelo de concessão, também conhecido como privado ou "privatista". Estes grupos afirmam que a Petrobras não conseguirá explorar o pré-sal sozinha e vêm criticando a proposta do governo apresentada em Agosto de 2009.

O governo apresentou uma proposta para a constituição de um novo marco regulatório, com o modelo de partilha de produção, uma nova empresa estatal, a Petrosal, a criação de um Fundo de Desenvolvimento Social que teria também a função de Fundo Soberano para reinvestir os recursos da exploração do pré-sal, e uma mudança no padrão de distribuição dos royalties do pré-sal, mantendo a distribuição atual apenas para as áreas fora do pré-sal.


A proposta do governo conta com o apoio dos Ministérios que elaboraram os projetos de lei, a base de partidos aliados, além de alguns movimentos sociais e parte das indústrias ligadas ao setor petrolífero que se veem desfavorecidas pelo atual modelo de concessão, que exige baixos índices de fornecedores nacionais. Entre os argumentos utilizados para defender a proposta do governo está o fato de que o novo modelo poderia aumentar em até 2,5 vezes mais a arrecadação do setor.

O projeto de lei enviado pelo governo ao Congresso será submetido a emendas e debatido juntamente com os outros projetos já existentes e que também propõem uma reforma no marco regulatório. A tramitação incluindo discussões e votação, deveria ocorrer inicialmente em regime de urgência, ou seja, por até 45 dias úteis na Câmara e mais 45 dias no Senado.[30] Duas semanas após o envio do projeto, o pedido de urgência foi retirado e substituído por um acordo entre governo e oposição para a composição de um cronograma de votação.


Marco do pré-sal pode dar a Dilma caixa de R$ 20 bilhões :

http://www1.folha.uol.com.br/poder/830573-marco-do-pre-sal-pode-dar-a-dilma-caixa-de-r-20-bilhoes.shtml





Gabriel Pensador
O Cachimbo Da Paz




A criminalidade toma conta da cidade

A sociedade põe a culpa nas autoridades

Um cacique oficial viajou pro Pantanal

Porque aqui a violência tá demais

E lá encontrou um velho índio que usava um fio dental

E fumava um cachimbo da paz

O presidente deu um tapa no cachimbo e na hora

De voltar pra capital ficou com preguiça

Trocou seu paletó pelo fio dental e nomeou

O velho índio pra ministro da justiça

E o novo ministro chegando na cidade,

Achou aquela tribo violenta demais

Viu que todo cara-pálida vivia atrás das grades

E chamou a TV e os jornais

E disse: "Índio chegou trazendo novidade

Índio trouxe o cachimbo da paz

....

Apaga a fumaça do revólver, da pistola

Manda a fumaça do cachimbo pra cachola

Acende, puxa, prende, passa

Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Todo mundo experimenta o cachimbo da floresta

Dizem que é do bom, dizem que não presta

Querem proibir, querem liberar

E a polêmica chegou até o congresso

Tudo isso deve ser pra evitar a concorrência

Porque não é Hollywood mas é o sucesso

O cachimbo da paz deixou o povo mais tranqüilo

Mas o fumo acabou porque só tinha oitenta quilos

E o povo aplaudiu quando o índio partiu pra selva

E prometeu voltar com uma tonelada

Só que quando ele voltou "sujou"!!!

A polícia federal preparou uma cilada

"O cachimbo da paz foi proibido, entra na caçamba vagabundo!

Vamô pra DP! Ê êê! Índio tá fudido porque lá o pau

Vai comer!"

Maresia, sente a maresia

maresia, uuu...

Apaga a fumaça do revólver, da pistola

Manda a fumaça do cachimbo pra cachola

Acende, puxa, prende, passa

Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Na delegacia só tinha viciado e delinquente

Cada um com um vício e um caso diferente

Um cachaceiro esfaqueou o dono do bar porque ele

Não vendia pinga fiado

E um senhor bebeu uísque demais, acordou com um travestí

E assassinou o coitado

Um viciado no jogo apostou a mulher, perdeu a aposta

E ela foi sequestrada

Era tanta ocorrência, tanta violência que o índio

Não tava entendendo nada

Ele viu que o delegado fumava um charuto fedorento

E acendeu um "da paz" pra relaxar

Mas quando foi dar um tapinha

Levou um tapão violento e um chute naquele lugar

Foi mandado pro presídio e no caminho assistiu um

Acidente provocado por excesso de cerveja:

Uma jovem que bebeu demais atropelou

Um padre e os noivos na porta da igreja

E pro índio nada mais faz sentido

Com tantas drogas porque só o seu cachimbo é proibido?

Maresia, sente a maresia

maresia, uuu...

Apaga a fumaça do revólver, da pistola

Manda a fumaça do cachimbo pra cachola

Acende, puxa, prende, passa

Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Na penitenciária o "índio fora da lei"

Conheceu os criminosos de verdade

Entrando, saindo e voltando cada vez mais

Perigosos pra sociedade, aí, cumpádi, tá rolando

Um sorteio na prisão pra reduzir a super lotação

Todo mês alguns presos tem que ser executados

E o índio dessa vez foi um dos sorteados

E tentou acalmar os outros presos:

"Peraí..., vamo fumar um cachimbinho da paz"

Eles começaram a rir e espancaram o velho índio

Até não poder mais e antes de morrer ele pensou:

"Essa tribo é atrasada demais...

Eles querem acabar com a violência,

mas a paz é contra a lei e a lei é contra a paz"

E o cachimbo do índio continua proibido mas se você quer comprar é mais fácil que pão

Hoje em dia ele é vendido pelos mesmos bandidos que mataram O velho índio na prisão

Maresia, sente a maresia

maresia, uuu...

Apaga a fumaça do revólver, da pistola

Manda a fumaça do cachimbo pra cachola

Acende, puxa, prende, passa

Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Maresia, sente a maresia

maresia, uuu...

Apaga a fumaça do revólver, da pistola

Sente a marisia

Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Apaga a fumaça do revólver, da pistola

Sente a marisia, acende, puxa, prende, passa, uuu...

Apaga a fumaça do revólver, da pistola


"Eu segurei muitas coisas em minhas mãos, e eu perdi tudo; mas tudo que que eu coloquei nas mãos de Deus eu ainda possuo."





Uma razão para que Deus tenha criado o tempo é para que houvesse um lugar para enterrar os fracassos do passado.



quarta-feira, 10 de novembro de 2010

"A amizade e a lealdade residem numa identidade de almas raramente encontrada."


O que é biodiversidade?



O termo biodiversidade - ou diversidade biológica - descreve a riqueza e a variedade do mundo natural. As plantas, os animais e os microrganismos fornecem alimentos, remédios e boa parte da matéria-prima industrial consumida pelo ser humano.

Para entender o que é a biodiversidade, devemos considerar o termo em dois níveis diferentes: todas as formas de vida, assim como os genes contidos em cada indivíduo, e as inter-relações, ou ecossistemas, na qual a existência de uma espécie afeta diretamente muitas outras.

A diversidade biológica está presente em todo lugar: no meio dos desertos, nas tundras congeladas ou nas fontes de água sulfurosas.

A diversidade genética possibilitou a adaptação da vida nos mais diversos pontos do planeta. As plantas, por exemplo, estão na base dos ecossistemas.

Como elas florescem com mais intensidade nas áreas úmidas e quentes, a maior diversidade é detectada nos trópicos, como é o caso da Amazônia e sua excepcional vegetação.


Quantas espécies existem no mundo?

Não se sabe quantas espécies vegetais e animais existem no mundo. As estimativas variam entre 10 e 50 milhões, mas até agora os cientistas classificaram e deram nome a somente 1,5 milhão de espécies.


Entre os especialistas, o Brasil é considerado o país da "megadiversidade": aproximadamente 20% das espécies conhecidas no mundo estão aqui. É bastante divulgado, por exemplo, o potencial terapêutico das plantas da Amazônia.

Sua colaboração é fundamental para conservarmos o meio ambiente e garantirmos qualidade de vida para nós e nossas futuras gerações.

Quais as principais ameaças à biodiversidade?


A poluição, o uso excessivo dos recursos naturais, a expansão da fronteira agrícola em detrimento dos habitats naturais, a expansão urbana e industrial, tudo isso está levando muitas espécies vegetais e animais à extinção.

A cada ano, aproximadamente 17 milhões de hectares de floresta tropical são desmatados. As estimativas sugerem que, se isso continuar, entre 5% e 10% das espécies que habitam as florestas tropicais poderão estar extintas dentro dos próximos 30 anos.

A sociedade moderna - particularmente os países ricos - desperdiça grande quantidade de recursos naturais. A elevada produção e uso de papel, por exemplo, é uma ameaça constante às florestas.

A exploração excessiva de algumas espécies também pode causar a sua completa extinção. Por causa do uso medicinal de chifres de rinocerontes em Sumatra e em Java, por exemplo, o animal foi caçado até o limiar da extinção.

A poluição é outra grave ameaça à biodiversidade do planeta. Na Suécia, a poluição e a acidez das águas impede a sobrevivência de peixes e plantas em quatro mil lagos do país.

A introdução de espécies animais e vegetais em diferentes ecossistemas também pode ser prejudicial, pois acaba colocando em risco a biodiversidade de toda uma área, região ou país.

Um caso bem conhecido é o da importação do sapo cururu pelo governo da Austrália, com objetivo de controlar uma peste nas plantações de cana-de-açúcar no nordeste do país.

O animal revelou-se um predador voraz dos répteis e anfíbios da região, tornando-se um problema a mais para os produtores, e não uma solução.

O que é a Convenção da Biodiversidade?

A Convenção da Diversidade Biológica é o primeiro instrumento legal para assegurar a conservação e o uso sustentável dos recursos naturais. Mais de 160 países assinaram o acordo, que entrou em vigor em dezembro de 1993.

O pontapé inicial para a criação da Convenção ocorreu em junho de 1992, quando o Brasil organizou e sediou uma Conferência das Nações Unidas, a Rio-92, para conciliar os esforços mundiais de proteção do meio ambiente com o desenvolvimento socioeconômico.

Contudo, ainda não está claro como a Convenção sobre a Diversidade deverá ser implementada. A destruição de florestas, por exemplo, cresce em níveis alarmantes.

Os países que assinaram o acordo não mostram disposição política para adotar o programa de trabalho estabelecido pela Convenção, cuja meta é assegurar o uso adequado e proteção dos recursos naturais existentes nas florestas, na zona costeira e nos rios e lagos.

O WWF-Brasil e sua rede internacional acompanham os desdobramentos dessa Convenção desde sua origem. Além de participar das negociações da Conferência, a organização desenvolve ações paralelas como debates, publicações ou exposições. Em 2006, a reunião ocorreu em Curitiba, PR.

O que é aquecimento global?

O aquecimento global é resultado do lançamento excessivo de gases de efeito estufa (GEEs), sobretudo o dióxido de carbono (CO2), na atmosfera. Esses gases formam uma espécie de cobertor cada dia mais espesso que torna o planeta cada vez mais quente e não permite a saída de radiação solar.



O que é efeito estufa?

O efeito estufa é um fenômeno natural para manter o planeta aquecido. Desta forma é possível a vida na Terra. O problema é que, ao lançar muitos gases de efeito estufa (GEEs) na atmosfera, o planeta se torna quente cada vez mais, podendo levar à extinção da vida na Terra.



Quais as causas das mudanças climáticas?

As mudanças climáticas, outro nome para o aquecimento global, acontecem quando são lançados mais gases de efeito estufa (GEEs) do que as florestas e os oceanos são capazes de absorver.



Como são lançados os gases de efeito estufa?

Isso acontece de diversas maneiras. As principais são: a queima de combustíveis fósseis (como petróleo, carvão e gás natural) e o desmatamento (no Brasil, o desmatamento é o principal responsável por nossas emissões de GEEs).



Quais os efeitos do aquecimento global?

São várias as conseqüências do aquecimento global. Algumas delas já podem ser sentidas em diferentes partes do planeta como o aumento da intensidade de eventos de extremos climáticos (furacões, tempestades tropicais, inundações, ondas de calor, seca ou deslizamentos de terra). Além disso, os cientistas hoje já observam o aumento do nível do mar por causa do derretimento das calotas polares e o aumento da temperatura média do planeta em 0,8º C desde a Revolução Industrial. Acima de 2º C, efeitos potencialmente catastróficos poderiam acontecer, comprometendo seriamente os esforços de desenvolvimento dos países. Em alguns casos, países inteiros poderão ser engolidos pelo aumento do nível do mar e comunidades terão que migrar devido ao aumento das regiões áridas.



Como o desmatamento influencia na mudança do clima?

Ao desmatar, muitas pessoas queimam a madeira que não tem valor comercial. O gás carbônico (CO2) contido na fumaça oriunda desse incêndio sobe para a atmosfera e se acumula a outros gases aumentando o efeito estufa. No Brasil, 75% das emissões são provenientes do desmatamento.



Quais as soluções para combater o aumento do efeito estufa?

Existem várias maneiras de reduzir as emissões dos gases de efeito estufa. Diminuir o desmatamento, incentivar o uso de energias renováveis não-convencionais, eficiência energética e a reciclagem de materiais, melhorar o transporte público são algumas das possibilidades.



O que é eficiência energética?

Eficiência energética é nada mais que aproveitar melhor a energia sem desperdiçá-la. Por exemplo, quando se diz que uma lâmpada é eficiente, isso quer dizer que ela ilumina o mesmo que as outras, consumindo menos energia. Ou seja, mesma iluminação, com menos gasto de energia.



O que são energias renováveis não-convencionais?

São energias que não vêm de combustíveis fósseis (como petróleo e gás natural) e também não inclui a hidroeletricidade. As energias renováveis não-convencionais mais conhecidas são a solar, onde se aproveita a luz e o calor do sol para gerar energia, a biomassa, oriunda mais comumente do bagaço da cana-de-açúcar e a eólica, dos ventos.



O que é Convenção do Clima?

É uma reunião anual da Organização das Nações Unidas (ONU) onde os países membros discutem as questões mais importantes sobre mudanças climáticas. A primeira convenção mundial aconteceu em 1992. O nome oficial do evento é Convenção-Quadro da Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (UNFCC, sigla em inglês).



O que é Protocolo de Quioto?

É o único tratado internacional que estipula reduções obrigatórias de emissões causadoras do efeito estufa. O documento foi ratificado por 168 países. Os Estados Unidos, maiores emissores mundiais, e a Austrália não fazem parte do Protocolo de Quioto.



O que é Fundo de Adaptação?

Um mecanismo financiado pelos países desenvolvidos para que os países em desenvolvimento possam lidar com os efeitos das mudanças climáticas. Hoje, cada projeto de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) paga 2% do seu valor para este Fundo, mas o dinheiro ainda não está sendo empregado.



O que é MDL?

Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) é um instrumento criado para reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa. Mas, para compreender melhor o que isso significa é preciso voltar ao ano de 1997, quando a comunidade internacional fechou um acordo para reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa, o Protocolo de Quioto. Neste mecanismo da Convenção do Clima, os países desenvolvidos têm até 2012 para reduzir suas emissões em 5,2% tomando como base o ano de 1990. Além de cortar localmente suas emissões, os países desenvolvidos podem também comprar uma parcela de suas metas em créditos de carbono gerados em projetos em outros países. A Implementação Conjunta garante créditos obtidos de países desenvolvidos e o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) permite que estes créditos venham de países em desenvolvimento, como o Brasil.




Veja o link do trailler do filme Child of the Wind:

Child of the Wind trailler



"A melhor maneira de ter bons filhos é fazê-los felizes."



"A felicidade em pessoas inteligentes, é das coisas mais raras que conheço."